Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada?

Em alguns casos, a doença da coluna pode não se resolver com tratamento conservador, levando o paciente a passar por uma cirurgia. Quais são esses casos?

Se não for tratada de maneira adequada, uma doença da coluna pode repercutir de forma permanente na vida do paciente.

Essa doença pode impedir diversas atividades esportivas e lazer, causar perda de dias de trabalho e até impossibilitar o paciente de realizar sua atividade profissional.

Em determinadas situações, a doença pode levar o paciente a piorar seu estado de saúde significativamente e aumentar seus riscos de dor crônica. Por isso, quanto antes o indivíduo buscar ajuda profissional, melhor.

A critério do médico responsável, e sempre que possível e adequado, o tratamento inicial das doenças da coluna deve acontecer por medidas de tratamento conservador.

Porém, existem alguns casos em que o tratamento conservador pode não entregar resultado, fazendo com que o médico responsável avalie a necessidade de uma cirurgia.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Mas que casos são esses? Neste artigo, vamos investigar as causas que podem levar um paciente a fazer uma cirurgia na coluna.

O que é tratamento conservador?

As medidas de tratamento conservador envolvem o uso regular de analgésicos específicos, acompanhamento médico regular e continuado de diversas especialidades e atividades físicas determinadas.

Alguns exemplos são:

  • Fisioterapia;
  • Hidroterapia;
  • Acupuntura;
  • RPG;
  • Pilates.

Para que o tratamento conservador traga resultado, o médico responsável deverá sempre ser informado sobre o progresso e resposta clínica do paciente a cada uma das modalidades indicadas.

A assiduidade do tratamento e atualização do médico ajudam o paciente a se recuperar melhor. Caso esse se recuse a realizar as terapias propostas ou realize-as de maneira irregular, é dever do médico alertar o indivíduo para que ele entenda a importância da sua participação nas diversas etapas do tratamento.

A plena colaboração do paciente também é de importância fundamental neste processo.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Porém, especialmente em casos específicos de enfermidades da coluna (fraturas, tumores e infecções), o tratamento conservador pode apresentar pouco ou nenhum resultado.

Nesses casos, é possível que o médico considere opções adicionais de tratamento cirúrgico adequadas a cada situação discutindo com o paciente todos os aspectos envolvidos.

A cirurgia é indicada apenas em último caso?

No processo que envolve a decisão pelo tratamento cirúrgico, o médico responsável e o paciente devem estabelecer um diálogo adequado. Assim, esclarecendo plenamente todos os aspectos da modalidade.

O profissional deverá realizar uma avaliação do histórico do paciente, solicitar exames físicos detalhados e exames complementares, laboratoriais e neurofisiológicos adequados a cada caso.

É importante que o paciente entenda que  a cirurgia na coluna como procedimento cirúrgico não é o “último recurso”, mas sim  uma das modalidades específicas de tratamento disponível entre os diversos tipos de terapia disponíveis na medicina atual.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Todas as alternativas de tratamento deverão ser discutidas de maneira clara para que o paciente possa compreender o alcance destas alternativas e, assim, poder tomar a melhor decisão.

Portanto, é correto afirmar que a cirurgia deve ser realizada no momento correto e na oportunidade correta a cada caso.

Existem ainda situações específicas nas quais o paciente poderá necessitar de uma cirurgia emergencial e ou de realização imediata.

Neste cenário podemos incluir situações nas quais a doença da coluna causa deformidade de instalação aguda associada a instabilidade biomecânica, dor severa incontrolável por medidas clínicas e nos casos em que ocorrem déficit neurológico (sensitivo ou motor) rapidamente progressivo.

Em todos os casos, a decisão final é compartilhada entre a equipe médica, o paciente e seus familiares. As expectativas do paciente em relação ao tratamento cirúrgico deverão ser sempre ajustadas ao real alcance terapêutico da modalidade de tratamento cirúrgico escolhida.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Cabe ao profissional o correto esclarecimento nesse sentido.

Para entender em totalidade sobre as necessidades de uma cirurgia na coluna e como o procedimento acontece, sugerimos a leitura deste artigo.

A cirurgia na coluna é indicada em que situações?

Existem alguns casos em que a cirurgia na coluna é indicada ao paciente. Os mais comuns estão listados abaixo:

  • Déficit neurológico progressivo relacionado à doenças da coluna: quando o paciente apresenta déficit de força nos membros, perda de sensibilidade, dificuldade ao caminhar, alteração nos hábitos de micção e evacuação e impotência sexual.
  • Dor persistente sem qualquer alívio por medidas tradicionais de tratamento conservador: quando o tratamento conservador não proporciona  o alívio esperado, diversas modalidades de tratamento cirúrgico podem ser eventualmente recomendadas para obtenção de alívio dos sintomas dolorosos.
  • Compressão da medula espinhal: quando a enfermidade da coluna comprime a medula causando paralisia, perda de sensibilidade e funções vegetativas.
  • Correção de deformidades da coluna: quando o paciente é portador de patologias que resultem na perda do alinhamento vertebral (congênita ou adquirida) de caráter progressivo e funcionalmente intoleradas.
  • Tumores primários ou secundários na coluna: quando o paciente apresenta tumores, a modalidade de tratamento cirúrgico mais adequada deve ser discutido em conjunto com o paciente. Para a melhor tomada de decisão, um parecer oncológico pode ser recomendado.
  • Doenças metabólicas ou infecciosas: quando uma doença altera a  integridade estrutural das diversas estruturas anatômicas da coluna vertebral, comprometendo sua estabilidade biomecânica, procedimentos cirúrgicos específicos podem ser recomendados a cada caso.

Além disso, os tratamentos cirúrgicos da coluna podem ser indicados por necessidades ou objetivos específicos de tratamento. Alguns dos tópicos citados acima merecem alguns comentários adicionais, então confira abaixo:

Descompressão do sistema nervoso

Uma das indicações para cirurgia imediata na coluna acontece quando as estruturas do sistema nervoso são comprimidas.

Isso acontece quando uma enfermidade faz com que componentes da coluna comprometam a medula espinhal e/ou os nervos espinhais.

Esse caso traz sintomas específicos como dor, perda de força, dificuldade para caminhar ou alterações na sensibilidade.

Fonte: fazfacil.com.br

Normalmente, as doenças da coluna que causam essa situação são tumores, escoliose, hérnia de disco, osteomielites da coluna e fraturas.

Leia sobre os sintomas das hérnias de disco e como tratá-las acessando este artigo.

Estabilização da coluna

A cirurgia é indicada quando a integridade estrutural da coluna for comprometida. Isso gera dor intratável, déficit neurológico, instabilidade biomecânica e deformidade progressiva.

Alguns dos exemplos de doenças que podem necessitar desta abordagem são:

  • Fraturas;
  • Tumores;
  • Espondilolistese;
  • Instabilidade pós-cirurgia prévia.

Correção de deformidades

No caso de deformidades, a cirurgia na coluna é indicada para trazer o realinhamento vertebral, caso estejam causando dor ou déficit neurológico ao paciente.

As deformidades podem acometer em um único nível ou em diversos níveis a coluna.

Fonte: olimpia24horas.com.br

Os exemplos mais comuns de deformidades que podem levar à necessidade da cirurgia são a espondilolistese, fraturas, tumores e alguns tipos específicos de escoliose e de cifose.

Tumores na coluna

No contexto de tumores na coluna, o tratamento deve se basear na natureza da lesão: tumores benignos ou malignos. O tipo histológico do tumor deverá ser previamente obtido por meio de biópsia da lesão.

A partir disso, o médico poderá estabelecer as melhores estratégias de tratamento baseadas nos protocolos e em conformidade com o oncologista responsável pelo caso.

É importante ressaltar que todas as medidas deverão ser discutidas de forma clara e objetiva com o paciente e seus familiares. Nenhum tratamento será realizado caso o paciente ou seus familiares não estejam de acordo.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Ainda sobre a cirurgia em casos de tumores, o médico responsável sempre deverá levar em consideração alguns aspectos:

  • a idade e estado geral do paciente;
  • localização da lesão;
  • presença de instabilidade biomecânica e/ou deformidades da coluna vertebral;
  • dor gerada pela lesão ou compressão de estruturas nervosas (nervos e/ou medula). Assim como as possibilidades de tratamento sequencial, adicional ou alternativo (farmacológico, imunoterápico, quimioterápico, radioterápico convencional ou por radiocirurgia).

Também nesses casos, além do acompanhamento do médico oncologista, poderá ser necessária a presença de médicos de outras especialidades para encontrar a melhor estratégia de cuidados.

Entenda as características, sintomas e tratamentos para tumores na coluna neste artigo.

Doenças Metabólicas

Doenças como a osteopenia e a osteoporose alteram a resistência mecânica da coluna pela diminuição e alteração da estrutura normal dos ossos. Isso torna as estruturas ósseas mais frágeis e sujeitas à fraturas.

Nos casos em que essas doenças são as causadoras de fraturas, o médico responsável pode recorrer à medidas de tratamento mais simples, como o uso de coletes.

Porém, em alguns casos, é necessária a intervenção cirúrgica em complexidade crescente com técnicas específicas com ou sem implantes.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

Independente do caso, é sempre importante avaliar e tratar adequadamente de forma concomitante a osteopenia ou osteoporose. Assim, reduz-se os riscos futuros de ocorrência de novas fraturas.

Entenda um pouco mais sobre como acontecem as fraturas e os tratamentos adequados, acessando este artigo.

Doenças Infecciosas

Nos casos em que o médico responsável suspeita de infecção na coluna vertebral, o tratamento deverá sempre ser orientado por exames complementares.

Quando a condição clínica exigir, o paciente poderá necessitar uma biópsia cirúrgica da coluna com coleta e cultura de material específico do local afetado, visando identificar o agente infeccioso.

Esse procedimento inicial de natureza diagnóstica pode permitir o tratamento com uso de medicamentos específicos ao contexto de tratamento do paciente e, nos casos mais simples, pode ser o único tratamento necessário.

Alguns processos infecciosos podem comprometer de forma extensa a integridade estrutural da coluna.

Nessa situação, o paciente poderá precisar, inclusive, de tratamento cirúrgico visando a descompressão da medula, correção de deformidades e/ou a estabilização biomecânica da coluna.

Podem existir casos em que a infecção ocorre em pacientes submetidos previamente a procedimentos cirúrgicos da coluna com o uso de implantes.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

A  avaliação individual em cada caso definirá se há ou não a necessidade de remoção desses implantes.

Porém, na grande maioria dos casos não haverá necessidade de remoção, sendo possível o tratamento adequado com uso de diversas modalidades terapêuticas.

Toda e qualquer decisão de tratamento nestes casos deverá ser discutida com a equipe médica responsável pelo paciente (médico-cirurgião, infectologista e/ou clínico geral), buscando a melhor solução.

Cada necessidade é avaliada individualmente?

Como se pode concluir, cada paciente apresenta necessidades únicas e específicas de tratamento cirúrgico. Portanto, cada caso deverá ser avaliado de forma individual.

Por isso, é importante que as expectativas do paciente e os objetivos da cirurgia na coluna proposta pelo médico responsável estejam corretamente alinhadas.

Evitam-se assim frustrações desnecessárias sobre possíveis resultados ao contexto da situação de saúde do paciente.

Ressaltamos ao paciente que é de extrema importância a necessidade de acompanhamento médico regular após a alta hospitalar pelo médico responsável pelo tratamento cirúrgico.

Em que casos a cirurgia na coluna é indicada

A nível ambulatorial, o paciente receberá orientações sobre terapias adicionais e ajustes na analgesia adequados ao seu caso.

É ainda importante que o paciente comunique imediatamente a equipe cirúrgica em qualquer tempo após a alta hospitalar sempre que surgirem dúvidas ou sintomas adicionais. 

Se você possui uma recomendação de tratamento cirúrgico da coluna, mas ainda possui dúvidas sobre o procedimento, entre em contato conosco e agende uma consulta.

Estamos à disposição para esclarecimentos adicionais sobre seu tratamento.

A IMPORTÂNCIA DO DIAGNÓSTICO CORRETO

Não substitua a consulta médica presencial

Por mais que seja tentador encontrar as respostas para sua dor na internet, alertamos que nenhuma informação deste portal, e de qualquer outro, substitui o diagnóstico feito por um médico. As dores nas costas podem não ser sintomas isolados, mas fazer parte de uma série de sintomas que apenas um profissional especializado conseguirá entender e diagnosticar.

Lembre-se: sua coluna não se comunica sozinha.
home-drfabio

DR. FABIO DOS SANTOS

CREMERS 17845

Médico Neurocirurgião, mestre em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul com foco em Cirurgia de Coluna Vertebral e Tratamentos Minimamente Invasivos na Coluna… Saiba mais.

COMPARTILHE ESTE POST

LEIA TAMBÉM: